18 de abr de 2013

Masako, a ‘princesa triste’, fará sua primeira viagem oficial em 11 anos



Ela vai acompanhar Naruhito na cerimônia de coroação do rei da Holanda.

A princesa Masako, esposa de Naruhito, herdeiro do trono do Japão, realizada no final do mês sua primeira viagem oficial em 11 anos, depois de quase uma década de tratamento devido a uma depressão induzida pelo estresse. Masako, de 49 anos, e conhecida como a "princesa triste", acompanhará o príncipe herdeiro na cerimônia de coroação do futuro rei da Holanda, Guillermo Alejandro, no próximo dia 30, informou a NHK.

O casal imperial não havia confirmado até agora a viagem, que será o primeiro compromisso oficial no exterior de Masako desde que iniciou o tratamento para depressão, na espera pela opinião dos médicos da princesa.

De acordo com o calendário previsto, ambos partem do aeroporto de Haneda, em Tóquio no dia 28 de abril e regressam de Amsterdã em 3 de maio. Espera-se que o casal de herdeiros, cuja última visita oficial foi à Nova Zelândia e Austrália há 11 anos, participe do jantar organizado em 29 de abril pela rainha Beatrix da Holanda, e do banquete que se seguirá a coroação no dia seguinte.

Segundo a NHK, Naruhito deve assistir a todos os eventos e atividades da cerimônia, enquanto a presença da princesa será decidida na hora, dependendo de seu estado de saúde. Este ano de 2013 é uma data especial para Naruhito e Masako pela comemoração do 20 º aniversário de seu casamento.

A princesa tem limitado suas aparições públicas e compromissos oficiais desde 2003, quando a Casa Imperial revelou que ela sofria de estresse. Alguns veículos de comunicação japoneses atribuíram à rigidez do protocolo Casa Imperial e a forte pressão para ter um filho para perpetuar a linha imperial japonesa.

Desde o anúncio, Naruhito fez 17 viagens ao exterior sem a presença da esposa.

9 de abr de 2013

Iwao Hakamada, 45 anos esperando para ser executado




Segundo o Guinness, japonês é o homem que está há mais tempo no corredor da morte.

Iwao Hamakada tem 77 anos. Em 1968, ele foi condenado à morte pelos assassinatos, ocorridos dois anos antes, de quatro membros de uma família em Shizuoka.

Hakamada ainda está vivo e foi reconhecido pelo Guinness World Records como o preso que mais tempo permanece no corredor da morte, revelou o Mainichi Shimbun. O advogado do condenado disse à imprensa que "o mundo está preocupado" com a situação de seu cliente.

Hakamada foi responsabilizado pela morte do dono de uma empresa que preparava misso, sua esposa e seus dois filhos. Eles foram esfaqueados. O quádruplo assassinato ocorreu em 30 de junho de 1966.

O condenado à morte tinha 30 anos e trabalhava na firma mencionada. Ele foi preso sob a acusação de homicídio e roubo. Hakamada inicialmente confessou sua culpa, mas depois se retratou. Ele disse que foi espancado e ameaçado pela polícia para confessar ter sido responsável pelos crimes.

O Supremo Tribunal ratificou a pena de morte em 1980, mas em 2008 seus advogados solicitaram um novo julgamento, argumentando que as provas de DNA encontradas na roupa que ele havia usado quando cometeu os crimes, usadas como evidências pela acusação, não são contundentes para culpar Hakamada.

Atualmente, o caso está sendo revisado pelo Tribunal do Distrito de Shizuoka. Hakamada está isolado. Não pode conversar com os guardas da penitenciária se não houver autorização explícita e faz muitos anos que não recebe visitas, segundo o Guinness. Há rumores de que o condenado sofre de demência.

8 de abr de 2013

Ishihara: “Japão deve se tornar potência militar”




Ex-governador de Tóquio afirma que Constituição pacifista deve ser revisada.

A II Guerra Mundial acabou com o poderio militar japonês. A Constituição pacifista que rege o Japão depois do fim do conflito bélico estabelece que o país renuncia a guerra como direito soberano da nação. Uma parte da sociedade japonesa não concorda com a Constituição. Shintaro Ishihara, o controverso ex-governador de Tóquio de 80 anos, está promovendo uma revisão do documento, pois considera que este faz do Japão um país isolado e fraco.

Em entrevista ao Asahi Shimbun, declarou que "o Japão deve se tornar uma grande potência militar". Na sua opinião, isso vai dinamizar e contribuir para o crescimento econômico do país. Ishihara, um dos cabeças do Partido para a Restauração do Japão (o outro é o prefeito de Osaka, Toru Hashimoto), disse que o Japão "é ignorado pela comunidade internacional", e para recuperar seu status global deve modificar sua Constituição .

A alteração constitucional é um dos cavalos de batalha de seu partido na campanha eleitoral para a eleição na Câmara Alta programada para este verão. No que diz respeito à gestão do primeiro-ministro Shinzo Abe, Ishihara a qualificou de "segura". Ele também expressou seu desejo de ver Hashimoto como governante do país. "Ele tem coragem e pode ser um revolucionário", disse ao Asahi.

Por último, o octagenário de direita descartou a possibilidade de se tornar primeiro-ministro devido à idade avançada. “Não tenho forças”, reconheceu. “Creio que meu último trabalho como político é apoiar Hashimoto", finalizou.

Japão ativará em breve protocolo antimísseis perante ameaça norte-coreana




Estão sendo preparados destróieres equipados com sistemas Aegis, capazes de realizar um acompanhamento e interceptar projéteis.

O Japão começará em breve os preparativos para que as Forças de Autodefesa do país ativem o protocolo para poder neutralizar possíveis mísseis provenientes da Coreia do Norte, informaram neste domingo fontes do governo japonês. A ordem, que pode ser anunciada em breve pelo ministro da Defesa, Itsunori Onodera, incluiria a preparação de destróieres equipados com sistemas Aegis, capazes de realizar um acompanhamento e interceptar projéteis, perante a possibilidade de que o desafio da Coreia do Norte represente uma ameaça para o arquipélago.

No entanto, segundo as fontes, apesar de "não existir uma alta possibilidade de um míssil ter como alvo o Japão", determinaram a necessidade de estarem "preparados para qualquer contingência", em declarações coletadas pela agência Kyodo.

A ordem de iniciar o protocolo antimísseis foi ativada apenas em três ocasiões, a última em dezembro de 2012 após o bem-sucedido lançamento, por parte de Pyongyang, de um foguete de longo alcance. Segundo as fontes, não se espera que a ordem do Ministério japonês de Defesa se torne público para não alarmar a população.

A tensão na península norte-coreana aumentou há exatamente um mês quando as novas sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU como castigo pelo terceiro teste nuclear de Pyongyang provocaram ameaças belicistas quase diárias por parte do regime de Kim Jong-un.

Neste sentido, informações antecipadas pelos serviços de inteligência de Coreia do Sul e Estados Unidos, revelaram recentemente a possível montagem de mísseis de alcance intermediário em plataformas de lançamento móveis da Coreia do Norte.

Especialistas sul-coreanos acreditam que o regime poderia lançar como teste um míssil por causa do aniversário, no próximo dia 15, do nascimento de Kim Il-sung, fundador do país e avô do atual dirigente, Kim Jong-un.

6 de abr de 2013

Japão precisa de mais mulheres trabalhadoras




Aumento da força de trabalho feminina contribuiria para o crescimento econômico do país.

O Japão deve aumentar a sua força de trabalho feminina para sustentar seu crescimento econômico, advertiu o Fundo Monetário Internacional (FMI). O organismo internacional destacou que o Japão precisa tomar medidas concretas para incorporar mais mulheres ao mercado de trabalho, em um informe cujas conclusões foram divulgadas pela Kyodo.

A maior presença de mulheres em âmbito laboral poderia diminuir o efeito que para a economia japonesa representa o rápido envelhecimento da população. A brecha de gênero na participação no trabalho entre os países desenvolvidos varia desde os seis pontos percentuais na Suécia até os 25 no Japão, detalhou o FMI.

O Japão poderá aumentar sua taxa de crescimento anual em 0,25% se sua força de trabalho feminina subir ao nível médio que possuem os países do G7, que agrupa as sete economias mais desenvolvidas do mundo, concluiu o órgão com sede em Washington.

5 de abr de 2013

Palácio Imperial de Quioto abre suas portas ao público



Durante cinco dias, será possível visitar a antiga residência dos imperadores japoneses.

O Palácio Imperial de Quioto, a antiga residência dos imperadores do Japão, abriu suas portas ao público nesta quinta-feira, informou a NHK. A cada ano, o Palácio Imperial fica acessível para a população durante cinco dias. Os visitantes têm a oportunidade de ver pinturas com cenas da clássica obra literária do século XI, Genji Monogatari, em uma tela.

Além disso, podem desfrutar de uma coleção de arte imperial. As cerejeiras que estão em torno do palácio formam um atrativo adicional. O Palácio de Quioto foi reconstruído oito vezes. A última foi em 1855. O imperador do Japão reside no Palacio Imperial de Tóquio desde 1869.

1 de abr de 2013

Japonês é preso por tentar assassinar mulher colocando veneno em seus sapatos



A polícia prendeu um homem em Tóquio por tentar assassinar uma mulher colocando veneno em seus sapatos, informou a AFP. A vítima sobreviveu ao ataque, mas desenvolveu uma grangrena numa parte de seu pé esquerdo, motivo pelo qual teve os cinco dedos amputados.

Polícia soube do caso quando recebeu o telefonema do hospital onde a mulher foi atendida. O acusado, Tatsujiro Fukusawa, de acordo com a versão policial, derramou ácido fluorídrico, uma substância corrosiva e tóxica, nos sapatos da mulher em dezembro do ano passado. Fukusawa, de 40 anos, negou a acusação. Ainda não foi divulgado o motivo do crime.